SOCIOTRAMAS 2

SOCIOTRAMAS 2: A ONIPRESENÇA DOS JOVENS NAS REDES

livro_sociotramas_2

Apresentação

Há três anos foi criado e deu início aos seus trabalhos de pesquisa o grupo de estudos Sociotramas. Hoje, a maioria de seus membros já recebeu seu doutorado, enquanto a minoria encontra-se a caminho. Os temas de estudo estão sempre voltados para a pletora de questões que envolvem as redes digitais de informação, acesso, comunicação e interação. No início de cada ano, um tema de trabalho é escolhido para pesquisa e discussão nos encontros mensais do grupo e, ao final do ano, realiza-se um evento para apresentação, por cada um dos membros, dos textos resultantes dos meses de estudos. No primeiro ano, optou-se por um panorama representativo de tópicos relativos às redes.

Foi realizado um encontro aberto ao público, ao final de 2012, para trazer ao debate vozes adicionais externas ao grupo. Para enriquecer ainda mais o debate, o evento contou também com especialistas convidados. Os resultados que foram aí obtidos encontram-se hoje publicados no livro Sociotramas. Estudos multitemáticos de redes digitais, pela Editora Letras e Cores, SP.

A tônica dos artigos que compõem o volume voltou-se para o cenário atual de hiperconexão que transformou o “estar conectado” em “ser conectado”. Hiperconexão significa não apenas ligação entre pessoas, mas também entre sistemas e, com a emergente internet das coisas, significa ligação entre gente, animais, coisas e lugares. Passamos rapidamente de uma Web estática para uma Web dinâmica, de uma Web de páginas para uma Web de plataformas participativas, em uma miríade de ambientes de conversação, compartilhamentos, controvérsias e conflitos.

O tema escolhido para 2013 foi bastante complexo: “o tempo nas redes”. O grupo trabalhou durante todo o ano, trocando e colocando em discussão coletiva os dados de pesquisa de cada membro. Isso conduziu novamente a um evento realizado ao final do ano para a apresentação dos trabalhos.

Bem no início do ano seguinte, 2014, desafiado pela relação inseparável dos jovens com seus aparelhos celulares e tablets, o grupo elegeu o tema da onipresença dos jovens nas redes como foco de suas preocupações e convidou o especialista Cleomar Rocha para compartilhar nossos interesses. A perspectiva dos dez meses de tempo pela frente concedeu ao grupo a possibilidade de buscar fontes teóricas e, inclusive, dedicar-se a pesquisas empíricas para encostar, tanto quanto possível, na vivência dos jovens, buscando desvendar quais são os fatores e motivos da sedução e do fascínio que as redes de relacionamento exercem sobre eles.

O presente livro, que ora passamos às mãos do leitor, apresenta um leque de tópicos que lançar algumas luzes e abrandar, até certo ponto, a perplexidade em que se encontram mergulhados pais e educadores diante dos novos e inelutáveis hábitos de comunicação tecnologicamente mediada, adquiridos pelas gerações que estão despontando com a beleza e energia indômita de sua juventude.

Desde seus primeiros meses de existência, o grupo Sociotramas criou um blog no qual, todas as semanas, são publicados posts de autoria de seus membros, por meio do rodízio de um autor a cada semana. Atualmente, esse blog conta com um acervo, que muito nos orgulha, de artigos breves que procuram apalpar a realidade mutável das redes sociais. Creio que vale a pena prestar uma visita a esse blog: https://sociotramas.wordpress.com. Há lá temas e discussões para os mais distintos gostos e expectativas.

Como adquirir: Este livro não é comercializável, mas está sendo disponibilizado nas bibliotecas universitárias de todo o país. Caso a biblioteca de sua universidade ainda não possua um exemplar, peça para o responsável da biblioteca nos contactar.

Sumário

OS JOVENS E AS REDES

Experiência social e ressonância cibernética: juventude e a onipresença na rede – Cleomar Rocha e Margarida do Amaral-Silva. 11

Os jovens como termômetros do Zeitgeist – Lucia Santaella. 31

AFETIVIDADES

A gamificação do romance entre os jovens – Marcelo de Mattos Salgado. 47

Diluições entre o real-imaginário- simbólico nas postagens juvenis – Maria Collier de Mendonça e Mariane Cara. 71

COGNIÇÃO

Cognição social e os jovens – Patrícia Fonseca Fanaya. 89

Diferenças cognitivas entre usuários jovens no ciberespaço – Kalynka Cruz. 111

A influência da tecnologia nos valores das gerações – Patrícia Huelsen. 133

EDUCAÇÃO

De nativos digitais a fluentes digitais – Hermano Cintra. 145

Presença, vínculos e redes: uma pedagogia da conectividade – Izabel Goudart e Mariana Guimarães. 169

O universitário conectado em sala de aula – Magaly Prado. 191

REPRESENTAÇÃO

Redes sociais de fanfics entre os jovens – Eduardo d’Ávila de Faria. 207

Os selfies especulares dos jovens – Patrícia Coelho e Mariane Cara. 229

O jovem leitor ubíquo e a narrativa transmídia – Thiago Mittermayer. 245

Anúncios