Renata Lemos-Morais

Atemporalidade nas redes sociais digitais: um ensaio-entrevista com Bruce Sterling

A cultura das redes pode ser entendida como sendo pós-moderna: a incredulidade em relação às metanarrativas (LYOTARD, 1985) se intensifica em resultado da proliferação e legitimação das micronarrativas através das redes sociais digitais (SANTAELLA & LEMOS, 2010). Enquanto alguns autores entendem a cultura das redes como um sintoma da pós-modernidade, outros autores a entendem como um sintoma do fim da pós-modernidade. As redes digitais são o principal elemento da atemporalidade, que é definida como sendo o período pós-histórico que traz “o fim da pós-modernidade”(STERLING, 2010). Entretanto, a pós-modernidade como entendida por Jean-François Lyotard e Charles Jencks possui vários atributos em comum com a atemporalidade de Bruce Sterling. Este ensaio-entrevista explora o pensamento para-acadêmico deste último, buscando trazer luz às possíveis diferenciações entre pós-modernidade e atemporalidade, e também explorar o entendimento deste autor sobre tendências culturais contemporâneas como o design digital e a Nova Estética.

Palavras-chave:

Atemporalidade – Redes Sociais – Pós-modernidade – Nova Estética

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s