Patrícia Fanaya

Cidades inteligentes como ambientes cognitivos

O conceito de “cidades inteligentes” está geralmente relacionado às tecnologias inteligentes aplicadas aos espaços urbanos e abrange desde o desenvolvimento sustentável às questões relacionadas à mobilidade; das inovações mercadológicas ligadas à concepção de novos produtos e serviços às inovações sociais e culturais. Entretanto, o objetivo deste artigo será demonstrar como as cidades inteligentes podem ser vistas, também e acima de tudo, como ambientes cognitivos, nos quais as diversas tecnologias inteligentes, cada vez mais integradas umas com as outras, com os espaços físicos e com as pessoas, podem ajudar na ativa aprendizagem social e pessoal, incluindo experiências formais, informais e híbridas.

Anúncios