Cleomar Rocha

Ressonância cibernética: juventude e a onipresença na rede

O artigo discute as relações entre o conceito de experiência e a prática interativa verificada em rede, na relação humano-computador. De modo pontual observa-se o comportamento da mídia interativa na construção de um modelo de experiência em rede, indicando uma prática articulada com a estética da conectividade. Os processos interativos definem relações interpessoais, constituindo uma rede de relacionamentos que se intensificam por interesses comuns, em uma dinâmica de relações. A construção dessa rede se dá em uma perspectiva singular, definida pela mídia pós-massiva. A experiência de usuário, nesta construção, tende a tornar-se significativa na medida em que os fluxos se intensificam. Seu uso, entretanto, enquanto mídia massiva, altera a natureza da experiência, conduzindo o usuário para uma prática alheia a ideia de rede, mesmo estando no contexto da Internet. O contexto da mídia interativa e o conceito de experiência formam a base do texto, que adota a análise e a observação como princípios metodológicos e a fenomenologia como base epistemológica.

Um comentário sobre “Cleomar Rocha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s