Aula Magna: “Towards a culture of transparency” com Derrick de Kerckhove

O TIDD/PUC-SP e os grupos de pesquisa Sociotramas e TransObjeto convidam a todos para a aula magna “TOWARDS A CULTURE OF TRANSPARENCY“, com o Prof. Dr. Derrick de Kerckhove.

BANNER_VERSAO_FINAL_TIDD_RGB

Terça-feira, dia 31 de março de 2015, às 17h.
No Auditório Paulo Freire (Piso Superior Tuca).
PUC-SP, Rua Monte Alegre, 1024, Perdizes. 

Derrick de Kerckhove é professor emérito no departamento de francês na Universidade de Toronto, onde  dirigiu o McLuhan Program in Culture & Technology. Depois disso, lecionou na faculdade de sociologia da Universidade Federico II em Nápoles. Atualmente, é diretor científico do Media Duemila, em Roma, e também é diretor de pesquisa no Instituto interdisciplinar de Internet na Universidade Aberta da Catalunha em  Barcelona. Seus campos de pesquisa incluem Tecnopsicologia, Psicotecnologia, Pesquisa Neurocultural, Tecnologias das Artes e das Comunicações, Teoria da Mídia, Softwares Educativos Colaborativos e Inteligência Coletiva. A obra do autor inclui mais de doze livros publicados em mais de dez línguas.

Ementa: “Rumo à cultura de transparência
Atualmente, todas as tecnologias de rastreamento de dados estão convergindo e sendo rapidamente absorvidas pelo Big Data. A pertinência comercial e social de sabermos tudo sobre nós — mas quase nada sobre as questões de segurança — faz com que esta tendência seja irreversível. Nosso destino, como uma sociedade globalmente imersa na cultura digital, é nos tornarmos transparentes. Este é exatamente o oposto dos efeitos da literacia que nos tornou pessoas individualmente opacas. Hoje em dia, as mídias sociais já começam a “publicar” os jovens antes que eles tenham tempo para amadurecer como indivíduos. “Cookies” fazem com que todos nós estejamos acessíveis por meio de referências cruzadas, de modo que as mídias sociais já não estão mais sob o controle dos usuários. Sem que a maioria das pessoas tenha consciência disso, estamos agora sendo “guiados” pelo nosso “inconsciente digital”, o qual já detém mais poder sobre nós do que — talvez — o próprio inconsciente freudiano teria. Desde a invenção do telégrafo, a transparência é um dos grandes efeitos da eletricidade e é também a fonte mais visível de uma mudança que está ocorrendo globalmente em nossa civilização. Será que devemos ter algum receio frente a isso? Podemos fazer algo diante disso? Como podemos facilitar a nossa transição de cidadãos privados para nos tornarmos “nós em uma rede mundial”?

Mais Informações:

http://www.facebook.com/Sociotramas

https://www.facebook.com/transobjeto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s